terça-feira, 5 de julho de 2016

Estação repetidora de rádio abandonada surpreende dexistas na Paraíba

Uma antiga estação repetidora, utilizada para comunicações via rádio da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (CHESF) está abandonada a cerca de 15 anos. A estação fica localizada na zona rural do município de Serra da Raiz, (PB). Cidade a cerca de 100 Km da capital, João Pessoa.

No último domingo (03) os dexistas Valdenis Silva e Leonaldo Ferreira (Colunista) estiveram visitando o local e ficaram surpresos com toda a estrutura, desde sua grande torre, a prédio e terreno. Instalada a uma altura aproximada de 336 metros, acima do nível do mar, a estação contribuiu grandemente para as comunicações da companhia no final dos anos 90.

Através de levantamentos feitos na internet, apenas se sabe, que a estação de Serra da Raiz (SRZ) teria deixado de fazer parte da rota de radioenlaces de radiocomunicação da companhia e teria sido desativa junto com uma outra em Serra da Gameleira. O tipo de comunicação utilizado através desta torre teria se tornado obsoleta e portanto outras rotas e tecnologias foram implantadas para aprimorar os sistemas da companhia no geoprocessamento de dados.

O Blog no mundo das comunicações manteve contato com Kleyton Cavalcanti Luna, um funcionário da CHESF, especializado em geoprocessamento de dados, com especialização pela Universidade Estadual da Paraíba. Ele falou um pouco sobre o seu estudo sobre a tecnologia utilizada hoje pela companhia que permitem comunicações mais rápidas e diretas através de cabos, como, a Fibra Óptica, entre outras. 

A Estação fazia enlace Recife-PE/Serra da Raiz-PB e Serra da Gameleira-RN  tinha enlace com Natal- RN.

Confira abaixo algumas imagens da antiga estação repetidora:








SOBRE REPETIDORA CHESF EM SERRA DA RAIZ/PB

O “nascimento” desta estação teve início em 1988 quando começou a elaboração do projeto com a realização da prospecção de campo e definição dos locais da construção do prédio e da torre, com a definição das alturas da torre e das antenas, além dos próprios rádios.

            Está estação faz parte de uma rota de rádio digital de 1,5 GHz (Recife – Natal) que levava os serviços de telecomunicações (voz e dados) para diversas subestações da CHESF (Mirueira, Recife II, Goianinha, Mussuré, Bela Vista, Campina grande II, Santa Cruz e Natal II). A instalação dessa rota teve início em 1998 e a sua conclusão no início do ano de 2000. A medida que foi sendo instalados cabos ópticos de Telecomunicações nas linhas de transmissão (cabo OPGW) que passam por essas subestações, as estações de rádio dessa rota foram sendo desativadas, no caso da estação repetidora de Serra da Raiz, a sua desativação aconteceu em 6 de junho de 2007, ficando apenas com a alimentação da iluminação predial e da torre, mas que devido a problemas no transformador de 13,8 Kv ela foi totalmente desligada em 24 de março de 2009. A parte da limpeza e conservação da estação ficou sendo mantida até o início do ano de 2012.

            Em setembro de 2009 foi realizado um site Survey para o atendimento de Telecomunicações da nova subestação de Pilões II, a partir dessa estação, mas devido à altura de 25 m da torre de SRZ, e seria necessário uma de pelo menos 33 m, decidiu-se que a melhor opção seria a partir da estação de Cajá, permanecendo a estação de Serra da Cruz desativada.
           
 Segue algumas característica do rádio:
- Rádio Digital CTR210  UHF 1,5 GHz
- Modulação: 4PSK
- Fabricante: Siemens
- Frequências:  10 Canais entre  TX = 1.429,00 à 1.460,50 MHz e RX = 1.494,50 à 1.526,00 MHz
- Torre: 25 m
- Altura da Antena: 15 m
- Diâmetro da Antena: 3 m
- Polaridade e Frequência na Direção Cajá: H, RX 1.498,0 MHz e TX 1.432,5 MHz
- Polaridade e Frequência na Direção Morro da Gameleira: V, RX 1.519,0 MHz e TX 1.453,5 MHz
- Distãncia de visada para Cajá: 54,4 Km
- Distãncia de visada para Morro da Gameleira: 44,2 Km

Veja que pelo mapa do Google essa estação não estava abandonada até 23 de junho de 2011, apenas com os equipamentos desligados:




A CHESF atualmente não tem intenção de reativar essa estação repetidora, mas é possível que haja o remanejamento da torre para outra aplicação e a total liberação do terreno.

Informações de um Engenheiro de Comunicação da Chesf.

Mais Fotos:







Blog no Mundo das Comunicações
de Leonaldo Ferreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário